“A pior dor que alguém pode sentir é a da injustiça"

Sindicato divulga vídeo de Pedagoga ameaçada de demissão por lutar em defesa da educação, em depoimento na Assembleia Geral do dia 31 de julho

Publicada em 13/09/2017 às 11:38 - Atualizada em 13/09/2017 12:04
Ésio Melo
  

 “A pior dor que alguém pode sentir é a da injustiça”, essas foram as palavras de Elizabete Patriota, integrante do grupo de servidores que estão sofrendo perseguição política no IFAL. Durante a Assembleia Geral Extraordinária do Sintietfal, no dia 31 de julho, Patriota relatou sua versão dos fatos e chamou atenção para as consequências desse PAD.


“Baseados numa mentira para justificar os interesses mais inconfessáveis, querem tirar o emprego de quatro pais e mães de família. Não é para outra coisa, é para que a gente sirva de exemplo e faça calar os demais. Isso é muito grave e não atinge só a nós, abre precedentes para futuras demissões injustas no instituto”, afirmou a servidora bastante emocionada.

 

Em sua fala, a pedagoga relatou os minutos de extrema violência que presenciou no Câmpus Satuba. “O ato já havia acabado dentro do Câmpus, segui para fora do prédio e encontrar outros professores para almoçarmos. Chegando no estacionamento observei que meu carro estava trancado, voltei para o Câmpus e infelizmente me deparei com meus colegas ensanguentados, sendo agredidos por alunos e pais de alunos. A minha reação imediata foi gritar por socorro, não entendia o motivo daquela barbárie”, explicou. 

 

De acordo com Elizabete, é necessário que essa conduta da instituição não possa se consolidar. “Não é possível, que no IFAL, nos dias de hoje, apesar desse governo, a gente pague com nossos empregos. É necessário publicizar essa injustiça, que está sendo perpetrada, para que ela não se perpetue no futuro. Até para que a gente tenha condições de olhar uns para os outros e não se sentir cumplice dessa perversidade”, destacou.

 

Vídeo

 

O depoimento de Elizabete diante dos servidores possui aproximadamente 30 minutos e pode ser visualizado, na íntegra, abaixo:

 

O conteúdo dos comentários abaixo é de responsabilidade de seus autores e não representa a opinião deste portal.

Curta no Facebook